Acesso à informaçãoFaltam 23 dias para a Copa

Programação na comemoração do Dia Nacional da Botânica e Dia do Índio

Na semana de 17 a 23 de abril o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) oferece uma série de atividades em comemoração do Dia Nacional da Botânica (17) e Dia do Índio (19), que vão encantar o visitante.


Trilhas, palestras, projeção de filmes e atividade para adultos e crianças com índio da etnia Assurini são algumas das atividades.


Fique atento à programação:


17 de abril – Trilha Evolutiva


14h - Vamos caminhar pelo Arboreto e descobrir algumas características botânicas, visíveis a olho nú, que diferenciam estágios evolutivos na flora.


E também vamos demonstrar como é feita a extração de DNA das plantas, para que serve e como funciona essa metodologia quando falamos em evolução das plantas.


Inscrições: no Centro de Visitantes, pelo telefone 3874-1808 ou presencial.


Vagas: 25 pessoas


Encontro em frente ao Centro de Visitantes


*em caso de chuva, a Trilha será cancelada e a Oficina do DNA será feita no Museu do Meio Ambiente



18 de abril – A cura pelas plantas


10h – Trilha

O pesquisador do JBRJ, Alexandre Quinet será o guia em um percurso pelo Arboreto identificando espécies da flora brasileira que são utilizadas por diferentes etnias indígenas e que são encontradas no Jardim.


Inscrições: Centro de Visitantes, pelo telefone 3874-1808 ou presencial.


Encontro em frente ao Centro de Visitantes


*em caso de chuva, a Trilha será cancelada



14h – Projeção de filme e palestra

À tarde, Alexandre Quinet vai conversar com o público sobre o documentário “O sonho do Pajé”, cujo roteiro e direção são de Bianca Vasconcellos, na sala multimídia do Museu do Meio Ambiente.

*a projeção do documentário "O sonho do Pajé" está sujeito à confirmação



19 de abril – Projeção de filme e atividade interativa


10h – Projeção do filme “Jogos Indígenas” e uma conversa com a diretora Maria Clara e os fotógrafos Tota Paiva e Leandra Benjamin. O documentário, dirigido por Maria Clara, foi realizado durante a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que aconteceu no Tocantins, em 2015. O trabalho apresenta culturas tradicionais com mais de três mil atletas indígenas oriundos de 23 países de cinco continentes.


14h – Atividade interativa

O índio Timei, da etnia Assurini, realizará a “Troca de saberes Awaete” com adultos e crianças no Arboreto do JBRJ. Ele proporá aos participantes atividades como imaginação guiada, trilha sensorial, contação de história, cantos e outras possibilidades de troca entre a cultura Awaete e a karai (não indígena).


Com apenas 40 anos de contato com a civilização, o povo Assurini do Xingu, é um exemplo de resistência. Sua cultura é admirada mundialmente. São exímios artesãos, ceramistas, construtores, caçadores e conhecedores da mata. A comunidade localizada no Médio Xingu, no estado do Pará, tem sobrevivido aos altos impactos ambientais de empreendimentos como Transamazônica, Belo Monte e agora a mineradora Belo Sun. Timei Assurini saiu de sua aldeia em busca de respostas, para entender e produzir alternativas para o que ele chama de Povos da Floresta, aqueles que entendem a importância da sobrevivência da floresta e seus povos.


Inscrições para atividade interativa: Centro de Visitantes, pelo telefone 3874-1808 ou presencial.


Vagas: 25 pessoas


Encontro em frente ao Centro de Visitantes



20 a 23 de abril – Projeção de filme


10h – De 20 a 23 de abril, sempre às 10h, o público poderá assistir ao documentário “O sonho do Pajé”, na sala multimídia do Museu do Meio Ambiente.

 

Foto da home:  Alexandre Quinet, botânico do JBRJ e o índio Timei Assurini.
Crédito das fotos:Raul Ribeiro